Como calcular o valor futuro de uma aplicação no Excel - Excel Descomplicado

Como calcular o valor futuro de uma aplicação no Excel

O Excel não é só um editor de planilhas; também é uma verdadeira calculadora financeira! 🙂 Nesse post você vai aprender a como calcular o valor futuro de uma aplicação, empréstimo ou investimento usando a função financeira VF. Basicamente, vamos descobrir o valor final de um investimento tendo em mãos informações como valor inicial, taxa de juros e período de aplicação.

Antes de qualquer coisa, temos que entender um pouco sobre a sintaxe da função VF (valor futuro). Essa função está enquadrada na categoria de funções financeiras, portanto alguns de seus argumentos referem-se a operações financeiras.

=VF(taxa;nper;pgto;vp;tipo)

  • TAXA: refere-se à taxa de juros mensal da aplicação;
  • NPER: refere-se ao número de períodos (em meses) em que aplicação ficará vigente;
  • PGTO: refere-se ao valor mensal que será acrescido à essa aplicação, caso haja;
  • VP: refere-se ao valor presente, ou seja, o valor inicial a ser operado;
  • TIPO: refere-se ao momento em que os valores são calculados (início do período ou fim do período)

Calma! Vamos dar uma olhada em como tudo isso funciona 🙂

Vamos supor que você irá aplicar R$ 1.000,00 durante 15 meses a uma taxa de juros mensal de 2%. Qual será o valor obtido depois desse período?

Nesse caso, nossa TAXA é 2% e o NPER é 15. O PGTO é um atributo que pode ser omitido nessa fórmula. Você poderia usar um valor no PGTO caso sua intenção fosse adicionar mensalmente um valor fixo à essa aplicação, além do valor inicial. Não é o nosso caso, ok?

O VP, como você deve ter imaginado, são os nossos R$ 1.000,00, que serão inicialmente aplicados. Já para o atributo TIPO o Excel aceita dois valores: 0 (zero) para o fim do período e 1 (um) para o começo do período. Basicamente isso significa o momento em que os valores serão calculados mensalmente. Supondo que os cálculos serão realizados no final de cada mês, vamos usar o 0, ok?

Dessa maneira, com os números “crus”, nossa fórmula ficaria assim:

=VF(0,02;15;;1000;0)

Note que a TAXA é um valor em porcentagem. O Excel enxerga porcentagem como números decimais, portanto, 2% em números decimais nada mais é que 0,02 (ou seja, 2 dividido por 100). O ponto-e-vírgula separa os argumentos da função. Em seguida temos então 0 15, representando o número de meses (NPER) e, como não temos um valor para o PGTO, basta deixar o campo vazio, inserindo um ponto-e-vírgula para determinarmos o próximo argumento. O valor inicial (VP) vem depois e, logo em seguida, o 0 representando o período de cálculo. Ufa! 😀

Botando isso no Excel:

 

Cálculo do Valor Futuro (VF) no Excel usando números na fórmula

 

Ué, e por que o valor está negativo? Bem, há uma razão bem clara para isso. O Excel pode entender os dois lados da moeda: se você empresta dinheiro para seu amigo, então você perdeu 1000 reais, mas ele ganhou 1000 reais 🙂 Para quem o Excel está fazendo o cálculo? Para você ou para o seu amigo? Ora, ele não sabe. Portanto, o valor final depende de como você configura sua fórmula. Aqueles 1000 reais representam um ganho ou uma perda para você? Você é quem emprestou ou pegou emprestado? Você é quem aplicou ou é a instituição que pegou o dinheiro para ser aplicado?

Quando o valor representa para você uma perda, você pode defini-lo como um valor negativo. Basta alterar o valor presente utilizando um sinal de menos (-) na frente.

 

Cálculo do Valor Futuro (VF) usando o valor presente negativo

 

Pronto! Um valor de R$ 1.000,00 aplicado durante 15 meses a uma taxa de juros mensal de 2%, será transformado, no final, em R$ 1.345,87.

É claro que você também pode utilizar referências na fórmula, para que não precise alterar os valores diretamente na mesma sempre que for necessário modificar um valor. Veja no exemplo abaixo:

 

Cálculo do Valor Futuro (VF) com os valores predeterminados

 

Fórmula do Valor Futuro (VF) utilizando referência

 

Note que, como a célula B5 contém a taxa de juros já representada em porcentagem, não é necessário inserir esse valor em número decimal, ok? O Excel já entende tudinho 🙂

Caso precise, basta modificar os valores nas células referentes a eles e o resultado será atualizado.

Lembre-se de que a função VF trabalha com taxas de juros fixas, ok? Nada de variação ao longo do tempo. Lembre-se também de que ela sempre deve estar expressa em meses, assim como o número de períodos. Se sua aplicação requer um tempo de 2 anos, então basta inserir 24 como número de períodos (2 x 12 meses). Se a taxa de juros fixa é de 36% ao ano, então ela é de 3% ao mês (36% divididos por 12 meses).

Se tiver alguma dúvida, é só comentar 🙂 Até a próxima!

 

Assine nossa newsletter!

Quer receber dicas, vídeos, novidades, artigos e material gratuito sobre Excel no seu e-mail semanalmente?

Inscreva-se abaixo 🙂